sexta-feira, 29 de julho de 2016

Pesquisa aponta Toninho da Farmácia na frente para prefeito de São José dos Pinhais 2016


Primeira pesquisa oficial aponta Toninho da Farmácia, grande favorito para prefeito de São José dos Pinhais
 
A publicação referente a pesquisa de intenção de votos, realizada entre os pré candidatos a prefeito de São José dos Pinhais, está na edição 1269 do jornal cn10, os dados coletados entre 24 e 27 de julho foram registrados no TSE Nº 04920/2016. A pesquisa foi elaborada com os nomes prováveis dos pré candidatos a prefeito, que estão sendo mencionado nos jornais e nas redes sociais.  

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Festa do Vinho São José dos Pinhais Programação 2016

PROGRAMAÇÃO 14ª FESTA DO VINHO E MOSTRA DE FOLCLORE
Dia – 05/08
Sexta feira
18h – Abertura dos portões
Concurso da rainha
Abertura Oficial
Coral Belvedere
Grupo Folclórico Cuore D’ Itália
Cerimônia do Vinho ( pisada da uva)
Grupo Musical Ítalo Brasileiro RAGAZZI DEI MONTI.
23:00h – Fechamento da bilheteria.
23:30h – Encerramento da festa fechamento da praça de alimentação.

Dia – 06/08
Sábado
11h – Abertura dos portões.
Almoço ( gastronomia italiana local).
Alberto Batistella Cantor Lírico Pop Italiano
Grupo Foclórico Cuore D’Itália
Coral Belvedere
Coral Italo Polonês Taquaral
18h – Degustação gratuíta da Polenta de 14 metros.
Rodrigo Machado – Dança de Salão
Grupo Folclórico Ucraniano Soloveiko
DECO DAL PONTE E BANDA
23:00h – fechamento da bilheteria.
23:30h – encerramento da festa fechamento da praça de alimentação.

DIA – 06/08
Domingo
10h – Missa Italiana realizada na Capela da Colônia Mergulhão – Caminho do Vinho
11h – Abertura dos portões.
Alberto Batistella Cantor Lírico Pop Italiano
Grupo Folclórico Polonês Wawel
Grupo Metropolitana de Dança Gaúcha
Escola de Dança Aziza Mahaila
Grupo Folclórico Cuore D’Italia
BANDA VECCHIO SCARPONE
20:00h – Fechamento da bilheteria
20:30 – Encerramento da Festa Praça de alimentação.

terça-feira, 19 de julho de 2016

Turismo Rural de São José dos Pinhais é referência nacional

Iedoski Artes Caminhos da Colônia Murici. Foto Pedro Serapio/Gazeta do Povo

Turismo rural garante renda para agricultores e diversão familiar

As atividades de agroturismo caíram no gosto popular e ganham cada vez mais adeptos

O turismo rural está crescendo no Paraná. A atividade virou uma alternativa lucrativa de renda para pequenos agricultores que aproveitam a estrutura do campo para encantar os turistas. De acordo com o Instituto Emater, o turismo rural cresceu 35% de 2014 para 2015.

Na Colônia Murici, em São José dos Pinhais, o casal Eduardo Malchow e Alexandra Leschnhak produz hortaliças, morangos orgânicos, alguns grãos e leite. Após a visita de algumas escolas resolveram investir no turismo pedagógico e. Em 2010, criaram o Rancho Caminho das Águas. “Há oito anos fazemos feira em Curitiba que nos ajuda a manter esse sonho. Mas não dá para depender apenas da agricultura. Queremos ter outra fonte de renda, por isso nossa intenção é expandir o negócio”, afirma Alexandra.
Responsável por 70% dos alimentos consumidos pelos brasileiros, a chamada agricultura familiar é o setor que mais apostou neste segmento. Além da produção de frutas, verduras e legumes, as pequenas propriedades rurais ganharam estacionamentos, restaurantes, quartos e passeios.
“Se levarmos em conta os diversos fornecedores que cada um dos empreendimentos de turismo rural possui, desde o agricultor que vende hortaliças para restaurantes rurais até a fabricante de rolhas para as vinícolas, toda uma cadeia de produtos e serviços é movimentada, cada uma recolhendo impostos e gerando divisas para o município”, afirma o diretor de turismo de São José dos Pinhais, Antonio Marcos Chupel.
Para a coordenadora de turismo rural da Região Metropolitana de Curitiba, Marilda Baduy, a atividade ganhou força a partir de 2004 e, apesar de pouco explorada, já tem trazido bons resultados para muitos produtores.
É o caso da família da Ana Bernadete Grockoski. Filha de pequenos agricultores, em 2010, ela e o marido abriram o café colonial Kawiarnia, o primeiro da Colônia Murici. O negócio deu tão certo que já se tornou a principal renda da casa. “Minha família continua na lavoura com a criação de animais, produção de manteiga, verduras e milho, mas o café colonial é nossa principal fonte de renda. Começamos com 60 lugares para o público e expandimos para 150”, conta.

Desafios

Um dos maiores desafios do Instituto Emater é preparar os agricultores familiares para abrir a propriedade e acreditar no potencial do turismo. Por isso, a entidade trabalha com parcerias e capacitação para orientar famílias na gestão da nova atividade. “O trabalho do Emater é essencial pois está ajudando a desenvolver os negócios de cada produtor”, afirma a presidente da Associação de Moradores, Comerciantes e Agricultores da Colônia Murici (Amcam), Roseli Iedoski Fontes.

Para o presidente da Paraná Turismo, Jacó Gimennes, a legalização da atividade é outra dificuldade do setor. “As questões legais advindas com a legislação mais voltada para o turismo em áreas urbanas cria dificuldades para o agricultor se formalizar como empreendedor de 
turismo”, explica Gimennes.
Por Andrea Côrtes, Gazeta do Povo 19/7/2016
Rancho Caminhos das Águas Turismo Pedagógico. Foto Jonathan Campos/Gazeta do Povo


7 roteiros incríveis para fazer de carro pelo Brasil

Caminho do Vinho em São José dos Pinhais está entre os 7 roteiros indicados pela revista Exame 


Cidade-base: São José dos Pinhais, Paraná
Distância: 26 Km de Curitiba
Para quem quer comer e beber bem, o Caminho do Vinho é um excelente destino para ir de carro. Entre as atrações da região, as casas de café coloniais são destaque.
Já quem quer mais contato com a natureza, não pode deixar de conhecer a Cachoeira dos Ciganos.
Fonte: http://exame.abril.com.br/estilo-de-vida/noticias/7-roteiros-incriveis-para-fazer-de-carro-pelo-brasil#2

quarta-feira, 13 de julho de 2016

9ª Exposição de Orquídeas, mais de 5 mil pessoas são esperadas em Colônia Murici


A 9ª Exposição de Orquídeas será realizada nos dias 23 e 24 de julho, no Salão Paroquial da Colônia Murici. O evento contará com 15 expositores e 5 produtores do município e de Curitiba que vão expor mais de 100 espécies diferentes. A exposição é organizada pela Associação Amadora de Orquidófilos de São José dos Pinhais, com o apoio da Prefeitura de São José dos Pinhais, por meio da Secretaria de Indústria, Comércio e Turismo.
Os visitantes terão a oportunidade de conhecer a grande variedade de cores, formas e tamanhos da flor. As mudas das espécies mais comuns poderão ser adquiridas por até R$ 10,00. Os preços, no entanto, podem chegar aos três dígitos quando se trata de espécies que interessam mais aos colecionadores. Também terá venda de objetos e insumos apropriados para o plantio e cultivo de mudas.
Segundo João Luiz Mikos, presidente da Associação Amadora de Orquidófilos do Município, o objetivo da exposição é incentivar o cultivo e a comercialização da flor. “Serão cerca de 2 mil orquídeas para venda, com preços para todos os bolsos. Além das orquídeas, teremos um estande com cactos e suculentas”, destaca.
O evento vai oferecer uma estrutura completa com estacionamento, banheiros e alimentação. A expectativa da organização é atrair 5 mil pessoas nos dois dias.
Serviço:
Dias: 23 e 24 de julho
Horário: das 9h às 18h
Local: Salão Paroquial da Colônia Murici – Rua João Lipinski, 350
Entrada: gratuita

terça-feira, 12 de julho de 2016

Toninho da Farmácia e Thiago Buhrer pré candidatos a prefeito e vice

Pré candidado a prefeito Toninho da Farmácia e Thiago Buhrer pré candidato a vice prefeito juntos

Noite agitada no cenário político desta terça feira (12) em São José dos Pinhais, onde Thiago Buhrer desistiu da pré candidatura a prefeito para anunciar as bancadas do PSDB e PP que será pré candidato a vice prefeito de Toninho da Farmácia, na chapa da situação, tudo isso após muitas reuniões com o deputado federal Leopoldo Meyer, deputado estadual Francisco Buhrer e o Prefeito Setim, indicaram e apoiaram esta união.
Esta será uma eleição diferente, pouco prazo e poucos recursos, onde o eleitor avaliará todos os candidatos que estarão na disputa, os que tem problemas na justiça, terão desvantagem, disse o deputado Francisco Buhrer.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Paulo Bernardo é preso em Brasília nesta quinta (23)

Paulo Bernardo e a senadora Gleisi Hoffmann foram indiciados em março

 O ex-ministro Paulo Bernardo foi preso nesta quinta-feira (23) em um desmembramento da 18ª fase da Operação Lava Jato, em Brasília. Um mandado de busca e apreensão também está sendo cumprido na casa da senadora Gleisi Hoffmann, em Curitiba.
Policiais federais também estão na sede do PT no Centro de São Paulo. A operação foi batizada de "Custo Brasil".
A Polícia Federal indiciou Gleisi Hoffmann(PT-PR) e o marido dela, o ex-ministro Paulo Bernardo, ao concluir o inquérito sobre as suspeitas de que dinheiro desviado da Petrobras abasteceu em 2010 a campanha ao Senado da parlamentar.
A defesa do ex-ministro disse que desconhece as razões da prisão, e que estranha porque Paulo Bernardo sempre se colocou à disposição das autoridades.
A PF afirma ter indícios suficientes contra Gleisi e o marido, o ex-ministro Paulo Bernardo, por suposto envolvimento em crime de corrupção.
As conclusões da Polícia Federal foram anexadas ao inquérito 3979, que tramita no Supremo Tribunal Federal , na Operação Lava Jato.
A PF entendeu que há indícios suficientes de que a campanha de Glesi recebeu R$ 1 milhão em propina. Um novo delator , Antonio Carlos Pieruccini, informou que transportou o dinheiro, em espécie, de São Paulo para Curitiba em quatro viagens e que entregou a quantia para Ernesto Kugler,  empresário que seria próximo de Gleisi.
Segundo a PF, as entregas ocorreram na casa de Kugler e em empresas das quais é sócio.
E que o empresário e o então tesoureiro da campanha de Gleisi, Ronaldo da Silva Baltazar,  se falaram por telefone pelo menos 25 vezes.
Segundo o relatório da Polícia Federal, ao qual a TV Globo teve acesso, o suposto pedido de dinheiro para a campanha de Gleisi teria sido feito ao ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa quando Paulo Bernardo era ministro do Planejamento do governo Lula e só porque o ex-ministro teria conhecimento do esquema de desvios na Petrobras.
Assessoria contesta
A assessoria de imprensa da senadora Gleisi Hoffmann, que responde pelo casal, informou por meio de nota que as provas do inquérito demonstram que ela e o marido não receberam dinheiro
"Todas as provas que constam no inquérito comprovam que não houve solicitação, entrega ou recebimento de nenhum valor pela senadora Gleisi Hoffmann ou pelo ex-ministro Paulo Bernardo", afirma o texto da nota.
Segundo a assessoria, "são inúmeras as contradições nos depoimentos dos delatores, as quais tiram toda a credibilidade das supostas delações. Um deles apresentou, nada mais, nada menos, do que cinco versões diferentes para esses fatos, o que comprova ainda mais que eles não existiram".
Indiciamento
O indiciamento – do qual a senadora foi objeto – é previsto em lei somente para inquéritos conduzidos pela polícia. O ato de indiciar torna uma pessoa oficialmente suspeita de ter cometido um crime.
Em 2006, o Supremo Tribunal Federal firmou um entendimento pelo qual deputados e senadores não podem ser formalmente indiciados pela polícia – somente podem ser acusados pela Procuradoria Geral da República.
A defesa de Gleisi Hoffmann vai questionar o indiciamento da senadora no Supremo a fim de provocar a discussão sobre se a PF pode ou não indiciar.
Atualmente, o Supremo tem uma composição diferente da de 2006 e, por essa razão, após o questionamento da defesa da senadora, há possibilidade de o entendimento vir a ser revisto.
Delação
A acusação faz parte da delação do doleiro Alberto Youssef, que afirmou ter recebido determinação do ex-diretor Paulo Roberto Costa para entregar R$ 1 milhão para a campanha de Gleisi Hoffman do Paraná.
Isso teria sido feito em um shopping de Curitiba. A quantia teria sido entregue pessoalmente por Yousseff a um homem. Youssef afirmou que Gleisi sabia de todo o esquema. E que  Paulo Bernardo pediu um "auxílio" na campanha da mulher.
Em depoimentos à Polícia Federal em abril do ano passado, a senadora Gleisi Hoffmann e o marido dela e ex-ministro Paulo Bernardo negaram irregularidades na arrecadação para a campanha da petista ao Senado em 2010.
Gleisi e Bernardo negaram, ainda, solicitações de doações ao doleiro Alberto Youssef. À PF, Paulo Bernardo disse que não fez qualquer pedido de "auxílio" a Costa para a campanha de Gleisi.
Questionado sobre as anotações "PB" e "1,0", encontradas na agenda de Paulo Roberto Costa apreendida pela Polícia Federal, o ex-ministro disse não ter conhecimento das anotações.
Em depoimento à Justiça, Costa afirmou que as anotações diziam respeito ao valor de R$ 1 milhão repassados a Paulo Bernardo para a campanha da petista ao Senado.
Em seu depoimento, Gleisi Hoffmann também disse desconhecer as anotações na agenda de Costa. Ela afirmou ainda que o empresário Ernesto Kugler participou de alguns eventos da campanha de 2010, mas que năo atuou na captação de recursos.
fonte:http://g1.globo.com/politica/operacao-lava-jato/noticia/2016/06/ex-ministro-paulo-bernardo-e-preso.html

quarta-feira, 15 de junho de 2016

As maiores Caminhadas na Natureza do Brasil são realizadas em São José dos Pinhais

A última caminhada no Caminho do Vinho reuniu mais de 4 mil pessoas

 São José dos Pinhais realiza as maiores caminhadas desta categoria no Brasil
O destino mais procurado do Brasil são as Caminhadas Internacionais na Natureza realizadas em São José dos Pinhais, sendo a maioria dos caminhantes vindos de Curitiba, foram contabilizaram mais de onze mil participantes em 2015 dentro dos 5 circuitos de caminhadas dentro do município.
Encontra-se em preparativos a 3ª edição das caminhadas de 2016 em Colônia Marcelino, até o momento conta com quase mil pessoas inscritas, possui um total acumulado de oito mil participantes neste ano.

3ª Caminhada Internacional na Natureza Circuito Colônia Marcelino 

Inscrições gratuítas, solicita-se a doação solidária de 1 kg ou mais de alimentos não perecíveis que a organização repassará para entidades assistencias.

Distância: 12500 Metros
Duração: 180 minutos
Condição do terreno: Percurso com piso irregular
Esforço físico: Esforço significativo
Orientação do percurso: Sinalização que indica o caminho e a continuidade.
Severidade do meio: Moderadamente severo
Código ANDA/IVV: 1167
Ponto de Encontro: Salão da Igreja São Pedro - Colônia Marcelino - São José dos Pinhais Paraná

Nível intermediário de esforço, percorrendo estradas rurais, propriedades particulares, trilhas, subidas, descidas, degraus e obstáculos naturais em meio à plantações, estradas de roça e mata.
Em caso de chuva, a caminhada ocorre normalmente, porém teremos alguns trechos com lama/barro.
Por favor leia todo informativo:

Concentração
Salão da Capela São Pedro missa 7h30min
Colônia Marcelino - São José dos Pinhais - Paraná
Credenciamento: 7h às 9h30min  Ao chegar no local, os inscritos via internet procure pela letra inicial de seu nome, assine o termo de responsabilidade e retire seu crachá para carimbos.
Saídas: 8h30min às 9h30min.
Atenção: Chegadas carimbo final até às 13h. (as equipes de apoio e carimbo final estarão encerrando seus trabalhos também neste horário).

Alimentação (trazer dinheiro em espécie, não se aceita cartões).
Café da manhã completo R$ 15,00. Pães, bolos, tortas, sucos, frutas, etc.

Almoço no Salão da Igreja (local da concentração) R$ 30,00 Alcatra e tender na grelha, arroz branco, risoto, maionese, pierogi, farofa e 6 tipos de saladas.
Almoço Rancho Santa Maria (4,5 km da concentração) R$ 30,00 almoço completo com costela fogo de chão, porco no tacho, marreco ao molho de laranja, polenta, arroz e saladas, reservas (41) 9961 0375 .
Café Colonial Vó Tereza (15 km da concentração, em frente Audi VW) R$ 25,00 Buffet completo, fone (41) 9976 0311.

Haverá feira de produtos da região no local da concentração.

Camisetas: Você poderá adquirir a camiseta exclusiva das Caminhadas na Natureza SJP por encomenda antecipada, custo R$ 15,00 através do telefone (41) 3383 3061. Portela Bordados email: portelabordados@gmail.com

Água: Trazer sua garrafa com água, você poderá reabastecer ou comprar nos pontos de apoio e carimbo.


CURTA Caminhadas na Natureza no Facebook, mantenha-se informado #compartilhe.


  • Passaporte: Não esqueça de trazer seu porta crachá e a sua carteira IVV (passaporte), quem não tiver retire no carimbo final!
  • Rios e Lagos: Haverá passagem as margens de represas e rios, portando muito cuidado também com as crianças não deixando-as caminharem desacompanhadas.
  • Alonga-se: O alongamento é necessário antes da caminhada e também depois da caminhada, tanto os membros inferiores quanto os superiores. Isso pode evitar lesões.
  • Hidrate seu corpo: Beba bastante água para hidratar, pode beber antes, durante e depois da caminhada.
  • Mantenha a postura adequada: É importante permanecer ereto, olhando para frente e com o abdome contraído.
  • Carrinho de bebê: Não é possível transitar em trilhas e estradas rurais com carrinhos de bebê.
  • Use tênis e roupas adequadas.   

Colônia Marcelino
Localizada a 30 km da sede, é o 2º maior produtor de camomila do Paraná e 3º dos país, se destacando na paisagem e deixando uma suave fragrância no ar. A religiosidade é expressa na arquitetura, por meio dos ricos detalhes, tanto da Capela São Pedro e São Paulo como a Igreja Ucraniana Santíssima Trindade. Existe na Colônia o Grupo Folclórico Ucraniano Soloveiko.

Descrição e histórico: A área da colônia é de 2.642.600 m2, e faz divisa com as localidades de Campestre, Faxina, Espigão, Rio Abaixo, Queimadas, Retiro e Colônia Matos, e com os municípios de Mandirituba e Fazenda rio Grande.
As primeiras famílias, vindas da Castelhanos, estabeleceram-se na Marcelino por volta de 1897, ato este representado por um Cruzeiro edificado em 1899, que foi substituído por outro de concreto e uma placa de mármore.
O nome da colônia homenageou o antigo proprietário de toda a extensão de terras da Colônia Marcelino, o coronel Marcelino José Nogueira, que foi um dos primeiros comerciantes na região de Campo Largo da Roseira, às margens do Miringuava. Vendia mantimentos “fiado” e os pequenos colonos, não tendo como saldar seus débitos, pagavam-no com terras e, por volta de 1890, o coronel Marcelino facilitou a venda das glebas aos imigrantes e descendentes de ucranianos e poloneses. Seus restos mortais encontram-se em um mausoléu.
Habitada por descendentes ucranianos que buscam no meio agrícola o desenvolvimento da região, tornando-a grande produtora de cheiro verde, batata salsa, pimentão, trigo, camomila, e diversas toneladas de outros produtos. Produziu em 1994, 60 toneladas de camomila, fazendo de São José dos Pinhais o 2º maior produtor nacional. Criam peixes para a comercialização nas feiras municipais de abastecimento.
Destaca-se na paisagem a estocagem de feno de papoã, também denominada de configuração meda – comum na Europa e países de clima frio. O capim é cortado e desidratado, podendo durar todo o inverno, garantindo a alimentação animal.
Existem duas igrejas católicas: uma de rito católico-latino e outra de ucraniano, porém as duas unem-se nas procissões de Corpus Christi ou em outras celebrações importantes como Páscoa e Natal. Dois cemitérios, um para os descendentes de ucranianos e outro para as demais descendências (portugueses, brasileiros, poloneses).
Um dos primeiros poloneses a fixar residência na Colônia Marcelino foi o Sr. Albert Inkot, cuja família mantinha, no início do século, o maior moinho de trigo e centeio da região de Marcelino. O Bar e Mercearia Buiar é o mais antigo da Colônia; no início do século ali funcionava a marcenaria do Sr. João Buiar, que fabricava violinos e outros móveis e instrumentos. A fábrica funcionou até 1948, depois transformada pelos filhos em bar, que até hoje funciona sob a direção de seu neto.
- A Festa do Trigo, tradicional, é em agradecimento à boa colheita. Realizada por descendentes de ucranianos durante o verão (janeiro), buscando preservar um costume tradicional da época, que no país de origem é marcado pelo frio. Os participantes da festa têm oportunidade de saborear alguns pratos típicos como kutiá (um preparado de grãos de trigo), perohê (pastel cozido) e holuptsi (charuto), e pastel assado, pão caseiro, panetone, risoto, saladas, galinha caipira recheada, costela, churrasco e bebidas. Procurando valorizar as tradições e a cultura, durante a festa são comercializadas peças do artesanato típico ucraniano, como pêssanka, louças e bordados. É abrilhantada por várias apresentações de grupos folclóricos como o Soloveiko (da própria Colônia) e o Wawel (Colônia Murici).
Inscrições gratuítas clique aqui